Reserva de Mamirauá, áreas úmidas são essenciais para o ciclo de água. Foto: Enrico Marone

O novo Relatório da iniciativa Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade (TEEB, na sigla em inglês) apresenta um prognóstico negativo sobre as áreas úmidas, áreas de transição entre os ecossistemas aquáticos e terrestres, como pântanos, lagos, manguezais, áreas irrigadas, entre outros. De acordo com esse relatório, cerca de 50% de todos os ecossistemas que formam as áreas úmidas fora...

Continuar lendo...